sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

de rajada…

com os oscars à porta as equipas dos torrents até fazem pastas com os filmes organizados por categorias, o resultado poderia ser mau mas não, ver quatro bons filmes de rajada deve ser como comer quatro lasanhas deliciosas sem ficar cheio, ao contrário dos quatro filmes que me encheram de emoções, comoções, ilações e tantas outras boas sensações…

The Curious Case of Benjamin Button
talvez pelo excesso de expectativa o filme não causou em mim a sensação esperada.
gostei do filme entenda-se, tanto que nem dei pelas três horas passarem mas, falta ali qualquer coisa. tirando a inversão da ordem natural de vida no Benjamim, o filme roça uma vulgar estória de vida com todas as suas experiências e relações interpessoais. com a inversão, é curioso o cruzamento das várias fases da vida, a semelhança entre a infância e a velhice, a janela de tempo do acasalamento ou mesmo a degradação/regeneração do corpo. tem uma bonita estória de amor, tem uma boa fotografia com uma brutal caracterização e interpretação do Brad Pit, não fosse ele um dos meus actores preferidos mas, repito... falta ali qualquer coisa...


Vicky Cristina Barcelona
Woody Allen no seu melhor, o filme é muuuito bom, desde o som à fotografia, o enredo, só mesmo um gajo que se separa da mulher para casar com a filha adoptiva é que tinha imaginação para um enredo destes, de volta às origens visto que desde o Match point que não fazia um filme tão cheio de cambalachos amorosos como costuma ser seu hábito. o filme é um desenrolar de enrolanços num espectacular ambiente rural espanhol com alguma da sua cultura à mistura, numa das cenas faz referência ao bom vinho Português, gostei de ouvir :) o Javier Bardem é incrivelmente parecido com o Marco da Sandrinha. vale muito a pena ver o filme, nem que seja para ver a Penélope beijar ardentemente a Scarlett . Só tu Woody, só tu...


Slumdog Millionaire
este encheu-me as medidas, por tudo! com a banda sonora da MIA a fotografia da Índia é brutal, a simplicidade do enredo, que topei nos primeiros minutos de filme, ele está no quem quer ser milionário e todo o enredo são os fragmentos de vida onde ele mostra como aprendeu as respostas, simples não? ao mesmo tempo, é nos mostrado o confronto entre a crueldade, exploração e aquilo que se é capaz de fazer no limite da sobrevivência, em contraste com a beleza da Índia, as cores, paisagens, tradições e a sua evolução até aos dias de hoje, visto ser um dos três emergentes com a China e o Brasil. é incrível como as crianças no meio do caos e desde muito cedo, inventam tantas formas de sobreviver, tudo isto ainda consegue ser misturado com um cruzamento da verdadeira amizade com o amor sincero e eterno. o filme enche e preenche muito. no oportuno fim, temos um hilariante momento típico dos filmes indianos com todos os protagonistas do filme (a Freida Pinto é linda) que nos faz retornar à calma depois de tanta emoção sentida, é tipo o cigarro depois de...
IMPERDÍVEL, ADOREI!!!


Doubt
para não variar, é uma avassaladora interpretação da Meryl Streep, com um argumento delicado torna-se o mais sério e pesado dos quatro filmes, o único que não usa a paixão como ingrediente. mas é um bom filme, sobre um assunto constrangedor, talvez uma possível versão das noticias que lemos nos jornais sobre a igreja católica no mundo, aguardo reacções do Vaticano... ou não...


na forja ficam Frost Nixon, Milk, The Reader, Revolutionary Road e Blidness

1 comentário:

Sandra disse...

maratonas de filmes :) BOOOOM!
são estórias, estórias, estórias! :):)